terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Prefiro morrer a ser escrava

Não vou
Perdoar
Esquecer
Relevar

Não vou viver
em favor
dessa maldita dor
que me corrói
da pele à alma

Não vou ser a sua
Maldita escrava
Ou a sua Filhinha
E eu vou dizer pra todo mundo

Gritar 
Falar até pra desconhecidos

Você não me tem mais
Nunca mais

Não vou te dar o doce gosto
de me ver enlouquecer
Eu me nego a isso

Não vou dar a você
o direito
a permissão
de fazer de mim o que bem entende 

Você vai ter que engolir
que eu sobrevivi

Vai ter que engolir que
Eu não sou você
Eu não me pareço com você
Eu não te amo
E eu não vou ficar quietinha

Não vou escrever em terceira pessoa;
Eu assumo esse maldito sujeito de me ser
Vou sobreviver dia após dia
Enquanto seus restos apodrecem bem longe de mim

Talvez eu nunca seja feliz,
Mas de uma coisa eu sei:
Eu nunca vou te pertencer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário